Testemunho do Sacerdote Pravin D’Souza

15 | Agosto | 2019

Sou de uma família católica, de classe média, e sou o segundo de três irmãos. Depois de ter acabado o curso trabalhei quatro anos em Bombaim e depois, durante dois anos, em Sharjah, nos Emiratos Árabes Unidos. Foi neste país muçulmano que senti que o Senhor me chamava para ser sacerdote. Nos Emiratos o dia de descanso semanal é a sexta-feira, dia em que eu aproveitava para ir à Missa. Durante a Eucaristia, cada vez que olhava para a Cruz, no meu interior, sentia uma voz que me dizia “Segue-me”. Quando voltei a Bombaim, durante as férias, contei as minhas inquietações ao pároco. O chamamento do Senhor foi tão forte que decidi deixar um trabalho muito bom e bem remunerado, para entrar no seminário no dia 22 de junho de 2007. Fui ordenado sacerdote em 2015.

A diocese de Bombay tem uns 500.000 católicos, 124 paróquias, 311 sacerdotes diocesanos e um bom número de religiosos e religiosas que trabalham em escolas, serviços sociais, centros missionários, e outros campos educacionais. É um desafio pastoral trabalhar num contexto multirreligioso, como a India, onde o cristianismo é uma minoria. Por isso ainda necessitamos de mais sacerdotes e religiosos para poder atender tantas necessidades espirituais.

Pravin D’Souza, é sacerdote da diocese de Bombaim (Índia), estuda teologia dogmática e reside no Colégio Sacerdotal Altomonte.