Agradecimento a todos os que “nos permitem estudar no coração da Igreja”

07 | Maio | 2019

Francesco Maria Sametti tem 26 anos e foi ordenado diácono recentemente. Nasceu em Busto Arsizio, uma cidade do Norte da Itália, perto de Milão. Está a terminar os seus estudos na Universidade Pontifícia da Santa Cruz, na faculdade de Teologia (especialidade em teologia dogmática) e pertence à Comunidade Casa de Maria.

«A minha Comunidade [Comunidade Casa de Maria] fundamenta-se em três ramos: as famílias, os sacerdotes (Filhos da Cruz) e as religiosas (Filhas da Cruz). Acabo de ser ordenado diácono, juntamente com outros nove meus confrades, com os quais partilho este caminho de fé desde a minha infância. De facto, foi nesta comunhão e unidade de corações onde percebi o chamamento do Senhor.

A casa de Maria nasceu da experiência muito forte de oração e comunhão vivida pelos nossos fundadores, em meados dos anos 80, em Medjugorje. Ao viver a minha infância neste ambiente familiar, comecei a sentir desde pequeno o chamamento do Senhor. Quando a nossa comunidade abriu umas casas de missão perto de santuários marianos na Europa (Fátima, Lourdes, Loreto, Medjugorje), os meus pais foram enviados para Fátima, e eu, com os meus irmãos e as minhas irmãs, fui viver para Portugal. Fiquei ali até aos 12 anos (2003), quando na Casa Central de Roma começou a experiência do Centro Educativo.

A minha vocação cresceu neste ambiente e foi verificada com mais profundidade nos anos do liceu até chegado o momento crucial, quando entrei, com outros rapazes da minha idade, para a formação própria dos Filhos da Cruz. Três experiências me levaram a esta decisão: os numerosos encontros em Medjugorje com os nossos fundadores, as JMJ de Madrid e a morte da minha irmã, que ela viveu com uma fé e uma entrega a Deus que me impressionaram.

Estamos muito agradecidos à Universidade da Santa Cruz pela formação que nos oferece, e agradecemos também, com todo o coração, a todas aquelas pessoas que com a sua caridade e generosidade, nos permitem estudar no coração da Igreja, tão perto do Santo Padre»